TV

“Quando eu cheguei, já havia muitas mulheres no rap, mas elas eram invisíveis”, diz Negra Li no Trace Trends

Cantora fala sobre carreira, maternidade, autoconhecimento e empoderamento em episódio já disponível no Globoplay e que vai ao ar sexta no Multishow.

Negra Li é a convidada desta semana no quadro ‘Make com Xan’, em episódio do Trace Trends já disponível no Globoplay e que vai ao ar sexta (24), às 17h, no Multishow. Cantora, rapper, atriz, ex-integrante do grupo de rap ‘RZO’ e dona do sucesso ‘Você Vai Estar Na Minha’, Negra Li esbanja mais de 1 milhão de ouvintes mensais no Spotify. Atualmente, aposta em arranjos novos e se reiventa ao conectar o pagode com o seu típico estilo R&B, em parceria com o cantor Ferrugem, em seu novo single ‘É Preciso Ir’, atingindo mais de duzentos mil ouvintes. Em bate papo com Xan Ravelli, ela fala sobre vaidade, carreira, maternidade, autoconhecimento, amadurecimento e o impacto do divórcio na sua vida e em sua arte.

Negra Li na gravação do Trace Trends. (Foto: Reprodução)
Anúncios

“Vários ciclos se fecharam e outros se abriram, e foi maravilhoso, uma montanha russa de sentimentos. E eu tenho que falar que não foi fácil, mas depois que tudo passou, eu senti que foi um presente. É um presente eu ter passado por tudo o que passei e depois chegar onde cheguei. Eu estava preparada”, destaca. “É bom chegar aos 40 e ser uma mulher independente e ter uma família construída, a fase de amadurecimento é maravilhosa”, conclui. 

Quando questionada sobre a ascensão das mulheres no rap, a cantora ressalta que o patriarcado, ainda, tem uma maior visibilidade. No entanto, as mulheres estão abrindo portas, desde sempre. “Quando a gente vê os ouvintes no Spotify, as pessoas ouvem muito mais rap feito por homem do que por mulher. A visibilidade para homens é muito maior, infelizmente. As pessoas falam sempre: ‘Você é pioneira do rap’, mas quando eu cheguei já tinham muitas mulheres, só que elas não tinham visibilidade nenhuma, eram invisíveis. Hoje, eu vejo que as mulheres conseguiram sua independência na música, porque só assim elas têm visibilidade do trabalho delas. Isso foi bom porque nos obrigou a sermos espetaculares. As mulheres do rap hoje produzem as próprias bases, fazem suas melodias e suas rimas, porque não tem ninguém para compor. Elas são suas próprias produtoras, sabem tomar conta da sua carreira e isso é muito importante”, destaca. 

O programa traz ainda a PLT4WAY, escola que promove impacto social com o ensino de idiomas, dicas literárias de Babu Santana no ‘Fala, Babu!’ e os lançamentos musicais com Bafros de Danzo, Cesar MC, Kélanie, Alysson Salvador, Rincon Sapiência com Marissol Mwaba, Juçara Marçal e Ton Carfi com Jottapê.

Com  apresentação de Alberto Pereira Jr., Xan Ravelli, Ad Júnior, João Luiz Pedrosa e Babu Santana, a nova temporada do Trace Trends tem, a cada semana, um episódio inédito exibido às quartas-feiras no Globoplay e às sextas-feiras, às 17h, no Multishow.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: