Musica

Expoente do jazz nacional, Jonathan Ferr lança seu primeiro single intitulado “Saturno”

Faixa chega com um clipe em linguagem cinematográfica disponibilizado no canal do artista no YouTube.

Carioca do subúrbio de Madureira, o pianista Jonathan Ferr é tido atualmente como um dos principais nomes do jazz brasileiro. É sob esta chancela que ele recentemente assinou contrato com a Som Livre e lançou ontem sexta-feira (22) seu primeiro single, “Saturno“, pelo selo slap. A faixa é carregada de swing, força e camadas que têm o intuito de conduzir a uma viagem cósmica sem volta para o referido planeta e chega ainda com um clipe/filme. O produto audiovisual mescla a linguagem cinematográfica do curta-metragem com as colagens de um videoclipe em um hibridismo cheio de poesia e imagens sobre amor, afeto, ancestralidade e o tempo.

Anúncios

No novo single – que conta também com sua banda, formada por Caio Oica na bateria, Facundo Estefanell no contrabaixo e Alex Sá no saxofone – Ferr assina ainda como compositor, produtor musical e é o responsável pelos arranjos de cordas e regência. Já no filme, Jonathan atua e divide a direção com Phillipe Rios, enquanto a produção executiva fica por conta de Tânia Artur, que também é empresária do artista.

Apontado pelo jornal EL País como o “garoto-estandarte do jazz carioca”, Ferr juntou de tudo para trilhar caminhos musicais que desconstroem a erudição como algo inerente a estilos mais complexos. Usando elementos de outros ritmos – como funk e hip-hop – para fazer um jazz mais urbano e popular, o pianista é um representante brasileiro do afrofuturismo – movimento que mescla tradições africanas com ficção científica e fantasia para rever o passado negro e criar novas narrativas -, explorando as fronteiras do jazz com o broken beat e outros eletrônicos, além de utilizar recursos como o vocoder, instrumento que faz com que os timbres de voz soem robóticos.

Jonathan Ferr, dos bastidores do filme “Saturno” Foto: Divulgação Som Livre
Anúncios

O nome da faixa, inclusive, foi inspirado por Sun Ra, considerado o pai do afrofuturismo, que também era pianista de jazz e criador de seus próprios filmes. Ele abandonou seu nome de nascença e adotou o nome e a personalidade de Sun Ra – sendo Ra um deus da mitologia egípcia -, alegando ser o “Anjo da Raça” de Saturno. Em sua carreira, Jonathan já levou seu Urban Jazz para importantes palcos pelo mundo como Rock In Rio, Rio Montreux Jazz Festival, Festival Sesc Jazz, Festival de Inverno de Garanhuns, Festival de Jazz & Blues de Rio das Ostras, entre outros, e já se apresentou em clubes do gênero em países como Portugal, Espanha, Alemanha e Holanda.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: