Musica

BK’ cria perspectiva contemporânea para o mito de Ícaro e lança álbum de forma inovadora, que soma pintura a óleo com realidade aumentada

Intitulado ICARUS, o novo álbum chega aos aplicativos de streaming de áudio nesta quinta, 17 de novembro; A obra de arte criada para o lançamento ficará em exposição, no Museu de Arte do Rio, de 17 a 19 de novembro.

Presos em um labirinto, Ícaro e o seu pai, Dédalo, pensaram em uma fuga
por meio do uso de asas feitas de penas e presas ao corpo com cera.
Dédalo alertou Ícaro sobre o perigo de chegar muito perto do Sol, pois o calor faria 
com que a cera derretesse. Ícaro, contudo, não deu ouvidos ao conselho e,
no dia da fuga, voou o mais alto e próximo do Sol que conseguiu, o que 
resultou em sua morte. 

Ao longo dos anos, a mitologia grega foi utilizada para passar ensinamentos adiante e para tentar entender as relações humanas. A história que abre este texto resume o mito de Ícaro, que, entre outras ideias, faz uma reflexão sobre os desejos humanos e o perigo da ambição (ou de nunca estar satisfeito). Agora, o rapper BK’ volta o olhar para tal lenda e a usa como ponto de partida para o seu novo trabalho de estúdio, intitulado ICARUS. Em uma perspectiva contemporânea e urbana, ele traça um paralelo do mito com a sociedade atual, numa jornada de 13 faixas em que aparecem as participações especiais de Major RD, L7NNON, Julia Mestre, Bebé, Luccas Carlos e Marina Sena.

Capa de ICARUS Foto: Reprodução
Anúncios

ICARUS é lançado de forma grandiosa e inovadora: o artista carioca Nikolas Demurtas criou uma obra de arte de 2m x 2m — pintada a óleo — reinterpretando a tela de “O Voo de Ícaro”, pintada por Jacob Peter Gowy (1636 – 1638). A obra, que estará em exposição no Museu de Arte do Rio (MAR), de 17 a 19 de novembro, é também uma ativação de realidade aumentada, na qual basta mirar um aparelho celular para mergulhar nos detalhes e nas faixas do álbum. ICARUS ganha ainda visualizers de todas as canções no canal de YouTube de BK´.

“No EP Cidade do Pecado,  falei muito sobre como as luzes da cidade nos enganam e como elas fazem com que a gente perca a nossa essência. Foi daí que cheguei no mito de Ícaro, que faz uma crítica exatamente a isso, sobre não se deixar enganar pelo brilho das coisas.  A motivação pode até ser legítima desde de que se saiba escolher o melhor caminho para atingir tal propósito. É sobre não se esquecer de quem você é”, afirma BK’. O rapper associa o “labirinto” presente no mito a vários crimes e distúrbios sociais, como o racismo, a pobreza e a fome. É neste contexto que as asas da lenda se tornam uma ferramenta de escape. “É preciso entender o porquê Ícaro tinha que sair dali. Mas, ao mesmo tempo, nesse processo de fuga, a luz se torna um atrativo tão forte a ponto de ser fácil de se perder”, pontua o artista. 

Medos, insegurança, ego e outros elementos da sociedade ajudam a delinear a narrativa do álbum, que tem “Luzes” como ponto de partida. As participações especiais auxiliam na construção de camadas e na somatória de perspectivas para além da que BK’ sonhou para o trabalho. L7NNON, por exemplo, surge em “Lugar na mesa” — um hino sobre persuasão e ações de hoje, que, em um futuro, serão legado.  Na sequência, “Continuação de um sonho” aponta a importância da ancestralidade e de reverenciar e respeitar aqueles que vieram antes (outra referência ao mito de Ícaro, já que muitos apontam o fato dele não ter ouvido conselho do seu pai). A faixa “Nome nas ruas”, produzida por Carlos do Complexo, traz o caos da metrópole e como se encontrar no meio dele. Traçando um paralelo entre o BK’ de hoje e tudo o que compõe a sua essência, o artista enfileira, em seguida, “Tudo mudou e nada mudou”. 

Com participação de Major RD, “Foto armado” manda recado por meio do deboche, e, de forma sutil, faz em suas suas linhas reverências aqueles que vieram antes e possibilitaram o rap de estar no lugar em que se encontra hoje, como Sabotage e Racionais. Em “Só me ligar”, com produção de Sango, BK’ aborda as tentações sexuais da cidade e traz elementos sinestésicos para criar a ambientação da faixa. A participação de Julia Mestre agrega em um refrão e linhas prontas para seduzir o ouvinte 

“Luta e lucro” fortalece aqueles que estão junto de BK´ na caminhada, em que ele evidencia a sua lealdade na vitória ou na vingança. Mais uma participação especial vem na sequência: a cantora Bebé soma em “Em nome do que sinto”. 

Anúncios

Como uma faixa-irmã de “Planos” (lançada por BK’ há quatro anos e com mais de 49 milhões de plays no YouTube), “Músicas de amor (nunca mais)”, com participação de Luccas Carlos, entra na reta final de Icarus e traz a relação amorosa e o sentimento para primeiro plano em uma narrativa bastante visual. “Funk deprê”, por sua vez, traz uma dobradinha do rapper com a cantora Marina Sena. Juntos, eles cantam sobre caminhos, se encontrar e se perder.

“Carta aberta” e “Amanhecer” são responsáveis por finalizar ICARUS em tom de esperança.

ICARUS no Museu de Arte do Rio (MAR)

O lançamento de ICARUS ganhou uma dimensão ainda maior ao BK´ criar uma ação interativa para este momento. Trata-se de uma obra criada especialmente para o rapper em parceria com a AKQA\Coala.LAB. O artista carioca Nikolas Demurtas fez uma arte de 2m x 2m — pintada a óleo — reinterpretando a tela de “O Voo de Ícaro”, pintada por Jacob Peter Gowy (1636 – 1638). A obra, que estará em exposição no Museu de Arte do Rio (MAR), de 17 a 19 de novembro, é também uma ativação de realidade aumentada, na qual basta mirar um aparelho celular para mergulhar nos detalhes e nas faixas do álbum.

Anúncios

A experiência imersiva será por geolocalização, garantindo exclusividade para a obra no Museu. “Decidimos fazer uma pintura a óleo porque, quando se fala sobre mitologia, imaginamos ‘como isso chegou ao Brasil?’. Isso se dá muito pela elitização das artes plásticas, cerâmicas, escritas, etc. Esses eram os formatos pelos quais as histórias eram contadas e registradas, ficando impresso na história. A ideia foi apresentar o nosso Ícaro”, explica  BK´. 

Para a concepção do quadro, foi tirado um retrato de BK’ para uma releitura com asas mais urbanas e com o skyline do Rio de Janeiro ao fundo. Ao lado do trabalho exposto no foyer do Museu de Arte do Rio, será exibido também todo o processo para a concepção do mesmo. O público ainda poderá interagir com a obra por meio de uma tecnologia com realidade aumentada, através de um web app, que dará vida ao quadro, inclusive, com as faixas do álbum. 

Ouça ICARUS clicando aqui!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: