Matérias

Após estrelar “El Rey León”, Tiago Barbosa brilha como Lola, na versão espanhola de “Kinky Boots”, e celebra sucesso da carreira internacional

O brasileiro foi indicado como Ator Protagonista na 13ª edição da cerimônia espanhola “Prêmios Teatro Musical”, figurando ao lado de nomes como Antonio Banderas.

Foi através da música, em uma competição musical, que ele chegou ao coração e aos ouvidos de milhares de pessoas no Brasil. Tiago Barbosa, o carioca de vida simples, com dom para a arte e predestinado ao sucesso, se apresentava no reality “Ídolos”, em 2012, quando surgiu a oportunidade de audicionar para a montagem brasileira de “O Rei Leão”, considerado o marco da Broadway e um dos maiores sucessos da Disney.

Foto Francisco Fernández
Anúncios

Soltando a voz, Tiago emocionou a banca de criativos, composta por brasileiros e americanos, entre eles a renomada diretora Julie Taymor, de quem também conquistou o abraço que o sagrou Simba, protagonista do espetáculo que mudaria sua vida para sempre. Foi aceitando o desafio para viver o filho de Mufasa que se mudou para São Paulo, conquistou um Troféu Raça Negra e um Prêmio Bibi Ferreira, e foi também por ele, que as malas foram refeitas anos depois, rumo à Europa, onde reside atualmente, desde 2016.

Desfrutando de outras experiências como ator na capital paulista, o artista abrilhantou o elenco de musicais como “Mudança de Hábito”, onde pôde explorar sua veia cômica como o capanga TJ, e também “Cinderella – O Musical da Broadway”, onde se dividia em dois papéis, Lord Pinklenton e alternante de Príncipe Topher – deixando nele a marca por ter sido o primeiro negro do mundo a interpretar o papel.

Cultivando eterna conexão com a savana de “O Rei Leão”, que inclusive, em 2014, o consagrou Melhor Ator Revelação no Prêmio Bibi Ferreira e lhe rendeu um Troféu Raça Negra, por sua contribuição à arte, ele se viu pronto para aceitar o convite de reassumir a coroa e reviver o papel na montagem espanhola, “El Rey León”, em cartaz há mais de uma década no Teatro Lope de Vega, em Madri, e onde se apresentou durante cinco anos, realizando o sonho da carreira internacional.

“O musical ‘O Rei Leão’ foi uma grande escola, como uma relação mesmo. Com momentos fáceis, momentos difíceis, momentos de riso e de choro. Mas a palavra que define esse trabalho é gratidão. Se hoje eu sou o profissional que sou, eu devo a este musical, que acreditou em mim e me deu a oportunidade. Foram anos de muita dedicação. Não houve nenhum momento em que senti que a batalha estava ganha. E isso me ensinou muito”, reflete ele, que também teve seu trabalho reconhecido em láurea estrangeira, sendo indicado nas categorias “Actor Protagonista” e “Interpretación Destacada Masculina” do Premios Teatro Musical (PTM), em 2019.

Sem jamais fechar os olhos para o que considera um divisor de águas em sua trajetória, Tiago entendeu que era hora de encerrar o ciclo, diferente do que diz uma das mais famosas versões musicais da obra, e se despediu de “O Rei Leão” ainda durante a pandemia da Covid-19, aceitando um novo desafio profissional em palco madrileño, totalmente diferente de tudo que já tinha vivido: calçar as botas vermelhas de Lola, a estrela do musical “Kinky Boots”.

“Foi uma decisão que eu já estava pensando há alguns anos, e a pandemia somente me ajudou a entender que era o momento de sair e de voar. Quatro meses antes de sair do espetáculo tive uma conversa com o Mr. Thomas Schlenk, para agradecer por todos estes anos de trabalho e dizer que era hora de sair, pois estava com uma grande oportunidade batendo em minha porta, pela segunda vez, e precisava aceitar. Revivemos alguns dos momentos mais emocionantes e no final ele me disse: ‘Quem é rei, sempre será lembrado como rei. Me deixe saber quando acabar seu novo trabalho, sempre estaremos aqui’”, relembra.

Mesmo com portas abertas para retornar ao posto de Simba quando quiser, foi por se sentir mais maduro e seguro para o projeto que ele aceitou se dividir entre Lola e Simon, no musical embalado por canções de Cindy Lauper e vencedor dos prêmios Tony, Emmy e Grammy. A produção, que já flertava com o artista há cinco anos, para montagens em outros países, fez sua estreia em outubro de 2021, no Gran Teatro de Espacio Ibercaja Delicias, sob a direção de Ricky Pashkus, e ganhou nova e curta temporada no Teatro Calderón. A reestreia vem junto com uma nova indicação de Actor Protagonista na cerimônia espanhola “Prêmios Teatro Musical”, figurando ao lado de nomes como Antonio Banderas.

“Lola é um diamante, um bombom, porém muito complexa, e foi justamente essa complexidade que me capturou. Vejo Lola como uma mulher trans e isso já gera outros desdobramentos e outro tipo de estudo. Eu nunca havia trabalhado com salto alto, com perucas diversas, sutiã, vestido, e tem sido muito legal. Vejo ela assim, pois sinto que se faz necessário, é sobre poder dar voz e visibilidade a essas pessoas”, conta ele sobre os caminhos que escolheu para construir sua versão da personagem durante três meses de muito estudo e preparo. “Nunca pensei que fosse tão difícil andar de salto. Foram muitas aulas e muito workshop. Pedi para a produção aulas de modos femininos, estiletto, aulas de fonética, além de ter conversado com muitas mulheres trans, complementa.

Foto: Miguel Ángel Fernández

E se “O Rei Leão” marca um antes e um depois da carreira de Tiago no Brasil, é com “Kinky Boots” que ele sente essa divisão de tempos na Europa. “Lola tem me dado um nome e um sobrenome aqui na Espanha, agora sinto que cheguei nesse país. Foi um trabalho muito intenso. Me sinto muito realizado por cada passo, cada pequena conquista, cada decisão que fui tomando com muita calma e analisando todo o panorama. Durante esses seis anos fora, tentei ao máximo manter meu trabalho no Brasil também, realizando os meus shows, ‘Estrada’, mas sempre senti que ainda havia coisas que precisava conquistar aqui na Espanha. Tenho conseguido e estou feliz de não ter desistido no meio do processo. Já tive muita vontade de regressar, claro, mas me sinto orgulhoso de não ter abandonado meus sonhos”, reflete.

E sem descartar um retorno à sua terra natal, Tiago se mostra aberto a convites e trabalhos em solo tupiniquim. “Amaria poder fazer uma temporada no Brasil, creio que após seis anos, seria muito legal fazer um projeto na minha língua e além disso: Estar mais perto da minha família e participar um pouco mais do crescimento do meu sobrinho. Não descarto nenhuma possibilidade, tudo é uma questão de conversar”, finaliza ele reacendendo esperanças.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: