Novidades

“Cores para Esquecer”: exposição individual de Sebastião Januário chega a São Paulo em abril

Atualmente, artes de Januário são exibidas no Instituto Inhotim, MAM-RJ e Ipeafro.

A partir de 2 de abril, São Paulo recebe a exposição individual “Cores para Esquecer”, do pintor e desenhista Sebastião Januário, conhecido como Januário. Até 30 de abril, a Galeria Periscópio mostrará produções realizadas pelo artista no período de 1970 até 2022, após 24 anos sem realizar uma exposição individual.

Sebastião Januário e Camilla Rocha Campos por Zakee Kuduro.
Anúncios

“Cores para Esquecer”, além de ser uma oportunidade de (re)conhecimento da trajetória de Januário, provoca uma reflexão sobre como seu trabalho é entendido nos dias de hoje. Dentre as obras exibidas, estão 11 pinturas inéditas, iniciadas em meados dos anos 70 e concluídas agora, em 2022, especialmente para esta exposição. A relação entre Januário e Abdias do Nascimento, que tiveram uma convivência próxima durante a década de 70, será um dos destaques da exposição, inclusive com a exibição de uma obra de Abdias dedicada ao amigo.

Figura de extrema importância para a arte brasileira e presente na cena artística desde os anos 60, Januário atualmente tem produções expostas no Instituto Inhotim, MAM-RJ (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro) e no Ipeafro (Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros). O pintor mineiro é referenciado por inúmeros artistas pela bagagem ancestral de suas obras e pelo retrato da vida cotidiana e da fé através de gestos, olhares e da organização espacial das figuras em suas criações.

“Januário construiu um trabalho que ensina através de imagens, com linguagem precisa em cenas complexas. Através da composição de corpos e olhares ele aponta escolhas e recusas – afetivas e sociais – de santos, entidades e pessoas comuns. Lembranças, memórias e decisões difíceis de vida estão presentes em beleza e dor. Ele é base e fundamento para muitos artistas, curadores e colecionadores pretos de ontem e hoje.” diz Camilla Rocha Campos, artista, pesquisadora, professora e curadora da exposição “Cores para Esquecer”.

Para Rodrigo Mitre, fundador e sócio diretor da Galeria Periscópio: “este projeto é um dos mais importantes e desafiadores que a Periscópio realiza. Pois estamos envolvidos em todos os aspectos que cercam um artista preto na história da arte brasileira. Dar a devida importância a uma produção de mais de 50 anos, de um artista que está citado em grandes livros de referência da arte brasileira dos anos 70 e 80. Dar o devido reconhecimento em vida para um artista que nunca parou de acreditar em sua arte”.

Serviço “Cores para Esquecer”:

Curadoria: Camilla Rocha Campos

Galeria Periscópio
Alameda Lorena, 1257 – Casa 4
Jardim Paulista, São Paulo – SP

De 2 a 30 de abril Abertura: 11h às 18h
Visitação: de terça a sexta – 12h às 19h
sábado – 11h às 17h

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: