Mulheres Pretas que Inspiram

Mentora no novo reality show de empreendedorismo O Plano É Esse, Dilma Souza Campos recebe prêmio da Associação dos Profissionais de Propaganda

No ar na TV por assinatura e na TV aberta, a criadora da Boutique de Criatividade Estratégica Outra Praia, Dilma Souza Campos recebe Troféu Garra Galo na categoria Diversidade e Inclusão.

2021 foi um bom ano para Dilma Souza Campos. Atualmente no ar como a principal mentora, ao lado de uma equipe altamente especializada, no novo reality show de empreendedorismo O Plano é Esse, que estreou em outubro no canal por assinatura Multishow, também apresentado também na TV aberta como um quadro do programa “É de Casa”, nas manhãs de sábado na Globo, Dilma foi uma das vencedoras da 20ª edição do Prêmio Contribuição Profissional – inciativa da APP – Associação dos Profissionais de Propaganda. Uma das premiações mais importantes da comunicação, o Troféu Garra do Galo homenageia profissionais que promovem e realizam ações que valorizam as atividades do mercado da comunicação. Por sua atuação na Boutique de Criatividade Estratégica Outra Praia, Dilma recebeu, em 18 de novembro, o prêmio na categoria Diversidade e Inclusão, em cerimônia transmitida ao vivo, pelo canal da APP Brasil no Youtube.

Dilma Souza Campos Foto: Mariana Neiame
Anúncios

Dilma Souza Campos tem uma trajetória profissional inusitada. Antes de tornar-se fundadora e CEO da Boutique de Criatividade Estratégica, Outra Praia, iniciou sua carreira como bailarina e atriz – interpretando Patativa, a passarinha do Castelo Rá-Tim-Bum e participava de aberturas de shows, convenções de vendas, entre outros trabalhos, onde começou sua paixão por este universo.

Depois de trabalhar em grandes agências brasileiras atuando em diversas áreas – direção artística, direção de produção e planejamento -, sempre em linha com sua formação em MBA em Gestão de Projetos pela FGV, criou a Outra Praia, uma Boutique de criatividade estratégica na área de live marketing e experiência com marcas – tarefa hercúlea pois, em pleno Século XXI sendo mulher e negra teve muita dificuldade para conseguir uma linha de crédito em para investimento inicial.

Porém, nada impediu o sucesso de Dilma, que ainda é conselheira da AMPRO – Associação de Marketing Promocional, Winning Women 2016 da EY, influenciadora e mentora da Rede Mulher Empreendedora (RME), facilitadora do programa do Google Women Will – Cresça com o Google, colunista no Portal Promoview e TEDx Speaker.

Mais uma entre suas conquistas é a participação na obra coletiva “Publicidade Antirracista: reflexões, caminhos e desafios”, finalista na categoria Economia Criativa para o Prêmio Jabuti, como autora do capítulo “Desafios e caminhos estratégicos para a expressão da igualdade racial na publicidade”, tema vivido por ela desse o início de sua carreira.

A pandemia trouxe novos desafios e Dilma teve que repensar e reinventar-se, com um olhar para o futuro, sem desprezar o passado. Segue em frente, questionando se cumpria a sua jornada e driblando as dificuldades de um país racista e machista.

São muitas as frentes de luta que enfrenta, na busca pela inclusão e transformação destes ambientes. Mulher, negra, empresária, empreendedora, esposa e mãe, Dilma busca inspiração em mulheres que, com trabalho árduo, fizeram a diferença neste cenário, como Raphaela Martins, Program Manager do Creative X, do Facebook, e Samanta Almeida, eleita pelo Prêmio Wired Festival Creative X uma das 50 pessoas que expandiram a criatividade no Brasil, integrante da lista Mipad (Most Influential People of African Descent), da ONU, como um dos cem afrodescendentes mais influentes do mundo e homenageada no Women to Watch, premiação que reconhece lideranças femininas disruptivas no meio empresarial, para citar apenas duas delas entre tantas mulheres negras com origens e lutas semelhantes.

Anúncios

Consultora de empresas para ações de diversidade e inclusão, Dilma acredita em mudanças efetivas e desenvolve ações afirmativas no tratamento dos vieses inconscientes, pautada pela pergunta: “o que estamos dispostos a perder para construirmos um mundo melhor?”. E conclui afirmando que “as discussões precisam acrescentar, para não retrocedermos. Diálogo e escuta são necessários para uma mudança de mentalidade para a equidade no tratamento das pessoas, para promover acesso real de quem não fazia parte da ascensão socioeconômica desejada por todo mundo”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: