Musica

DJ Grace Kelly lança faixa “PPK”

Baiana de nascença e internacional na convivência, DJ Grace Kelly ilumina e enriquece a cena cross-cultural de DJs de Berlim, cidade onde vive atualmente. Como mulher nordestina, macumbeira, negra e sapatão, sua música é política por essência. Em seu novo lançamento, distribuído pelo selo Caloor Records, Grace chama atenção para o seu primeiro EP, chamado “Dengo” com o single PPK (Pepeka): uma ode às sapatonas e bissexuais que vai muito além do que essas três letras podem significar. Rebolar a raba com a mão na consciência nunca foi tão gostoso; reconhecer e potencializar sua identidade nunca foi tão contagiante.

Anúncios

Apoie o Cultura Preta no Apoia.se por apenas 10 reais mensais, clique e apoie!

“Sou eu falando do que eu gosto, para outras lésbicas e bissexuais, pois, em geral, ainda é escasso o número de artistas queer que cantam assim, numa linguagem direta e gostosa pra nós mesmas”, diz a DJ sobre o significado da conexão estabelecida através da empatia. Este papel político não vem do dia para a noite: Grace participa ativamente de coletivos políticos, organiza parada queer e aproveita sua arte para propor transformações sociais inclusivas para quem necessita do olhar atento. Integrar uma “minoria” marca o cerne do nosso ser e caminhar na direção de um horizonte mais acolhedor para os que vêm depois é uma forma de dedicar um presente de lutas a um futuro de tranquilidade.

Em outra época, falávamos do poder da pussy. Hoje, falamos sobre o tesão com o hit da PPK com graves bem marcados – presentes tanto nas referências da música eletrônica alemã quanto nos clássicos do Baile Funk com Deize Tigrona e Tati Quebra-Barraco – e drops colossais, que reforçam a raiz baiana de Grace com o pagodão. O batidão é certeiro para fazer o corpo todo balançar e celebrar a
liberdade e o orgulho em sermos exatamente quem somos, sem abrir mão da diversão que brota no compartilhar das diferenças.

DJ Grace Kelly Foto: Terese Bygg
Anúncios

PPK celebra a carreira e história de resistência de uma mulher negra e queer que ousou realizar o sonho de conhecer o mundo para além do que sua vista alcançava do topo das árvores no sertão do município de Barra do Mendes, localizado na monumental Chapada Diamantina. Grace Kelly viu e ouviu o mundo – agregando suas vivências nas pistas de dança como DJ e nas ondas do rádio como locutora – para transformar a experiência em conquista de espaços e fazer as nossas narrativas, que sempre foram invisibilizadas, serem registradas e reproduzidas em alto e bom som. Vá ouvir PPK, porque apostamos que você vai gostar da ideia – e vai descer o rabetão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: